... a verdade pela arte!

domingo, 6 de dezembro de 2009

Lágrimas Azuis

O céu chora lágrimas azuis gotejando saudade sobre os morangos frescos

Recém nascidos sobre a terra fértil de amor

O céu chora sem tempo para parar

Sem controle e sem vergonha se dissolve doce...

Oh! Céu distante e perto, fora e dentro

Seja abrigo e conforto

Acolhei os morangos azuis que pintastes no golpe preciso do amor

Regina Mello

4 comentários:

Felippe G. Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felippe G. Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felippe G. Martins disse...

Felippe G. Martins, do interior do ES, tenho 18 anos e começarei a cursar o curso de Pedagogia.
Tenho uma grande admiração por poemas, em especial românticos, mal-do-século, mas estou tão longe... Estou tão longe dos conhecimentos que preciso ter! Espelho-me nos poemas do Augustos dos Anjos e Álvares de Azevedo e também gosto dos movimentos Niilistas, Absurdistas e pelos Dadas. Não que eu tenha um conhecimento aprofundado sobre cada um...
Também queria estabelecer contato para possíveis eventos para 2010.
Meu email: felippegmartins@hotmail.com

Irei ti enviar 5 dos vários poemas que costumo criar diariamente:

Felippe G. Martins disse...

Vaga-lume

Suas cores estão de pé como antes
E meus dias se tornam ativos nesta solidão
Suas cores estão paradas diante do flash
Mas eu não!

Caminho para descobrir sobre esse clarão
Torno-me vaga-lume e morro de frio
E não consigo descobrir tal mistério
Vago do lume...

==//==

Teoria

Não quero mais teorizar teorias
Elas me fazem pensar que tudo é mortal
E o nunca é sempre infinito
Comunal Terra absurda!

==//==

Hinos dos Desesperados

E ave os desiludidos
Aqueles que desejam a morte imediata
Pois nela acharam o melhor caminho
E nela acharam o perdão tão desejado.

Amém.

==//==

(...)

Por que. Por quê?
Por que. Porque.
Porquê! Por que...
Porquê porquê por que!

Ficar louco sem motivo...
Sem alguma única razão...
E...
Os por quês ficam loucos também!

É por isso que o iso fica mal
Ou seria mau?
É por isso!
Que dizem estarmos males quando maus.

E quando interpreto...
Estou em um asilo metal...
Que mau!
Mais finjo estar tudo bem! Amém...

Agora não sei para onde vou...
O que restou?
O céu e o inferno!
Mas agora espero a decisão chegar ao purgatório...

==//==

(...)

Ontem foi um zumbi
Hoje sou um anjo
Amanhã quem sabe...
Poderei me tornam algo menos normal...

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Artista das artes visuais e da poesia. Pensa, respira e vive arte!